Saiba a diferença entre Crowdfunding e Peer-to-Peer Lending para o setor imobiliário

Embora existam diferenças, tem muita gente que confunde essas duas modalidades de investimentos. Para o setor imobiliário, o crowdfunding significa a participação do investidor no Valor Geral de Vendas – onde com a quantia alocada, o investidor adquire uma participação no desempenho do empreendimento. No Peer-to-peer Lending, para este mesmo mercado, acontece diferente: várias pessoas emprestam dinheiro para uma incorporadora ou construtora, e recebem como rendimento os juros desse empréstimo durante o período acordado.

As duas modalidades também estão regularizadas em entidades diferentes: enquanto o P2P segue as instruções do Banco Central (BACEN 4.656), o Crowdfunding é regulamentado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM 588), uma entidade que tem o objetivo de disciplinar e desenvolver o mercado de valores imobiliários.

O risco de crédito pode ser mitigado em ambas as modalidades, pois precisa ser analisada a capacidade de pagamento da empresa a qual você empresta o dinheiro arcar com o seu compromisso. Risco de crédito nada mais é do que o perigo de quem pega o dinheiro emprestado não arcar com as suas obrigações financeiras. Para o P2P Lending, pode ser visto como vantagem o fato do investidor ter conhecimento da taxa que ele receberá como rendimento. Além disso, como se trata de um empréstimo entre duas partes, essa taxa e o período são acordados antes e tendem a ser bem atrativas.

Saiba mais sobre os outros tipos de Crowdfunding

O crowdfunding, ou financiamento coletivo, como também pode ser chamado, surgiu em 2005 e ganhou escala mundial a partir de 2009 com o lançamento de uma primeira plataforma nos Estados Unidos. Somente em 2011 o crowdfunding surgiu no Brasil. Esse modelo de economia coletiva ganha muitos adeptos devido as suas diferentes modalidades, que abrange desde quem precisa de dinheiro para tratar a saúde, como também artistas e pequenos empreendedores que não têm dinheiro para realizar seus objetivos.

Para quem precisa de dinheiro para custear uma necessidade pessoal ou até profissional, diversas plataformas realizam essas arrecadações, e dependendo do acordo que é feito, os contribuintes podem simplesmente colaborar, ou até receber recompensas. Com esse tipo de recurso livros já foram publicados, álbuns de música foram lançados e pessoas já puderam arcar com os custos de seus tratamentos de saúde.

Leave a comment